segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

O domingo de bola mais dramático de todos os tempos

Andava meio Portugal, de Ovar a Olhão, de Torres Vedras a Sesimbra, de Loulé a Estarreja, de Sines à Mealhada, com a Cabeleira do Zezé na cabeça, a tentar perceber se ele afinal é ou não é, e estava eu colado à página da Live Scores - fiquei sem telefonia e agora, para acompanhar a marcha dos resultados, recorro às novas tecnologias - como se estivesse de castigo. Não é - absolutamente - a mesma coisa. O quanto eu queria ouvir com atenção o Sporting - Marítimo à espera que a Académica fizesse o golo do empate enquanto um dos comentadores descrevia mais uma inacreditável perda de bola de Rinaudo à saída do meio-campo, sempre antecipando aquela entrada que, vinda de longe, se vai aproximando, aproximando, aproximando, acompanhada do efeito sonoro vziu-vziu-vziu, «GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO» numa palavra sem fim, que dispensa o «LOOO» porque já toda a gente sabe como ela acaba. Acabei dando por mim a olhar para uma tabela de resultados com luzes verdes a piscar e minutos a passar e a Académica sem marcar e o Moreirense a fazer o terceiro e o Gil Vicente que não me conseguia parar aquele Setúbal, uma das piores equipas que eu vi jogar nesta liga.

A minha vida não é só ter este blogue - eu também estou ligado a outros blogues. Daí que, em vez de ter andado, como o estimado leitor andou, a sambar de tanga em cima de um palco alegórico atrelado a um tractor, eu tenha ficado em casa a cuidar da evolução dos resultados da bola. A verdade é que um desses blogues a que estou ligado tem uma particularidade que o distingue dos demais: serve quase exclusivamente para conduzir uma liga privada, que se disputa entre amigos. Trata-se de uma competição mais ou menos saudável que mistura a compreensão da conjuntura, o talento para a leitura de jogo, o jeitinho para o palpite e a experiência de apostar no totobola. Todas as semanas os participantes nessa liga pegam no quadro de jogos do campeonato e apostam 1 ou X ou 2 no resultado de cada um dos jogos - temos ainda direito ao uso de uma aposta dupla por jornada. Depois é esperar que os Tozés Marrecos da Zon Sagres nos venham confirmar as previsões. Antes do Natal faz-se um jantar de grupo e no final da época jantamos juntos outra vez. Os atletas da segunda metade da tabela pagam o jantar; os da primeira metade comem e bebem o quanto puderem ser qualquer tipo de preocupação ou piedade. O vencedor da competição ganha ainda uma camisola à sua escolha, que será paga pelos restantes concorrentes. É um jogo simples, portanto.

Até ontem, e desde há umas quantas jornadas (creio que são 6, mas não tenho a certeza), eu liderava, com alguma tranquilidade, a tabela. Para esta jornada, a minha aposta foi a seguinte: Estoril - Guimarães: 1; Académica - Rio Ave: 1/X (foi a dupla que usei); Sporting - Marítimo: 1, Moreirense - Beira-Mar: 2; Setúbal - Gil Vicente: 2; Nacional - Benfica: 2; Porto - Olhanense: 1; e Braga - Paços de Ferreira: 1. Ou seja, até ao momento, consegui o extraordinário número de um acerto em sete palpites. É trágico.

No entanto, e porque o futebol é um belíssimo desporto, carregado de drama e de justiça poética, existe a possibilidade de, mesmo depois desta exibição risível, eu manter a liderança da prova, bastando-me para tal que o Braga vença o Paços de Ferreira. Vou confiar que a carnavalice de ontem não irá repetir-se hoje, até porque o Pedro Proença já desfilou, por entre bombos e ponchas. A única coisa que me assusta é aquela sensação peseirista de que isto ainda pode correr pior.

3 comentários:

bino disse...

Já estão a pedir um castigo exemplar para o Cardoso então vamos introduzir comentários deste género, o castigo exemplar deveria ser igual ao que o James dos corruptos levou depois daquele agressão ao jogador do Leiria á dois anos. VAMOS ENCHER A BLOGOSFERA COM ESTE TIPO DE COMENTÁRIOS.

B Cool disse...

correu mesmo

pitons na boca disse...

bino, se foi a cena do soco na barriga do Rabicholas, foi contra o Feirense.

http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=1730416