terça-feira, 5 de março de 2013

Vai de penalty

Tenho recebido reclamações de alguns leitores: que me falta o timing, que falo pouco de bola, da equipa, dos etecéteras, por aí fora. Reconheço que têm alguma razão. Raramente escrevo aqui tudo aquilo que poderiam ler em qualquer jornal desportivo ou blogue especializado no dia seguinte a um jogo do Benfica.

Hoje não é dia de Benfica nem é dia a seguir a um jogo do Benfica. Mas tenho uma coisa para dizer que pode ser do interesse dos leitores, de um modo geral, ao contrário do que costuma acontecer por aqui, já que normalmente escrevo apenas o que me interessa, sem preocupações anexas. Falemos então de penalties.

Leio e ouço por aí que "o Benfica precisa de penalties para ganhar jogos". Vou focar-me no que importa: a questão está mal formulada. Concedo que aquele penalty contra a Académica tenha dado jeito para chegarmos aos 3 pontos; já contra o Beira-Mar, colocar os 3 pontos nos pés do Cardozo, numa grande penalidade batida aos 15 minutos parece-me exagerado (sem aquele penalty, poderiam ter acontecido muitíssimas coisas nos 75 minutos que faltavam, dentro de um espectro que vai da goleada do Benfica à goleada do Beira-Mar, não descurando a possibilidade de um empate a 7, por exemplo). Agora, o que me incomoda é o tom com que se expõe o assunto, com sublinhado maldoso: o Benfica "precisa".

Vejamos, o Benfica precisa tanto de oportunidades claras de golo quanto todas as outras equipas. Sendo o penalty uma oportunidade clara de golo, pode dizer-se que o Benfica não deve desdenhar da possibilidade de marcar de penalty - tal como não deve desdenhar da possibilidade de ter um guarda-redes que faz grandes defesas ou de possuir extremos que façam óptimos cruzamentos, por exemplo. A questão maior aqui é a seguinte: mas o Benfica tem ou não tem o mesmo direito que todas as outras equipas a que se assinalem penalties a seu favor em caso de falta defensiva na área adversária? Aparentemente, há quem conteste esse direito. Ou agora só se podem marcar penalties a favor do Benfica se esses penalties não fizerem falta a ninguém, independentemente de serem assinalados com justiça?

Seguindo este raciocínio, atrevo-me a especular na mesma medida: o Porto é que precisaria que não se marcassem penalties a favor do Benfica para poder estar em primeiro lugar. Assim é que a situação fica correctamente exposta.

2 comentários:

Germano Bettencourt disse...

Ora nem mais.

Ainda se compreendia, caso não fosse penalti. Mas assim...

Meneldor disse...

Concordo.

O busílis da questão é que para os demais todo e qualquer penalty assinalado a favor do Benfica... não é penalty!

Um jogador do Benfica é rasteirado na área, é penalty? Claro que não. É necessário que, no mínimo, parta o pé!

Um jogador adversário corta a bola com a mão, penalty? Obviamente que não. O jogador estava de costas; o jogador não pode cortar os braços/mão do resto do corpo; a bola é que foi à mão e não o contrário...etc, etc, etc.

É toda uma panóplia fantástica de imaginação para justificar porque um penalty (justo) foi mal assinalado a favor do Benfica!