sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Pedido de desculpas

Erro.

Paulo Sousa Costa, alvo da pequena ironia do post anterior, dedicou o livro infantil que escreveu ao filho que perdeu. Nenhuma altura é justa para se perder um filho, mas o caso é mais grave, mais dramático, quando se trata de uma criança de tão tenra idade.

Quando escrevi o texto, não tinha conhecimento do caso (apenas do livro e do seu lançamento). De outra forma, não teria brincado com coisas tão sérias, ainda por cima de uma forma tão ligeira e inadequada - é o preço da ignorância desbocada. Se o Paulo por acaso tiver tido a infelicidade de dar com os olhos naquele texto, fique a saber que o escrevi na mais escura ignorância e nunca me passaria pela cabeça melindrá-lo ou ofendê-lo, nem à memória do seu filho. Foi uma ironia infeliz minha assente, ainda que por desconhecimento, na tragédia de outra pessoa. Peço a compreensão dos leitores. Não pretendia ser maldoso. Não é isso que pretendo, nunca - a não ser que a questão seja estrita e puramente futebolística.

As minhas desculpas.

4 comentários:

Bettencourt disse...

Bonito gesto. Aqui se vê a grandeza de um Homem.

O campeonato faz-nos falta não achas? Raio das selecções!

Holly disse...

És tão grande Diego.
Gosto tanto - "mas um tanto tão gigante" - de te ler.

:)

BR disse...

Todos temos direito a errar, mesmo quando o fazemos por desconhecimento. Mas "homenzinho" é aquele que o reconhece e se desculpa de forma sentida.

Este teu post não são todos os que o conseguem fazer.

Como diz o bettencourt lá em cima... o campeonato faz-nos falta.

Abraços
Benfica Sempre

DUX_XXI disse...

Digo sinceramente, não vejo onde está a grandeza. Aqui o gringo disse uma patetice, foi chamado à razão e consequentemente pede desculpa pelo acto irreflectido. Nada mais natural.

Também só faltava inventar uma merda qualquer para desculpar-se, não?

O campeonato não faz falta nenhuma, os jogos da selecção são bem mais emotivos.

Vocês a lutarem pela qualificação e o pagode grita por... Messi.

dass, abrenuncio.