terça-feira, 14 de agosto de 2012

Análise lógica das expectativas

Hoje voltei ao Estádio da Luz. Fui comprar bilhetes para sábado. Já não ia à Luz desde Maio. É muito tempo de ausências e distâncias. Foi, por isso, reconfortante caminhar novamente sobre aquele chão sagrado, aquele chão outrora vermelho – hoje já mais gasto, coçado pelos milhões de pés que o calcaram em direcção ao anfiteatro, de onde se vê o Benfica. E assim começa o meu ano de romarias.

Fazemos contas, renovamos esperanças, tomamos o pulso à situação, emparelhamos ambição e bom senso, tentamos concluir. As minhas contas são simples: é para a desgraça. Este ano estamos perdidos. O treinador e o director desportivo não contratam quem deviam, o capitão perdeu a cabeça, há gente descontente no plantel, há gente nervosa na equipa e temos um presidente que negoceia muito bem – mas só com o Atlético de Madrid, o que dá que pensar. Ou seja, estamos pior do que estávamos. Não tenho esperanças…

… e isso dá-me um optimismo desmedido porque normalmente ter esperança dá azar e não a ter é que dá sorte. CAMPEÕÕÕÕÕÕÕÕES!!!

4 comentários:

Berrante De Encarnado disse...

Como eu o compreendo.

Aquela sensação altamente frustrante de cairmos quando tudo nos leva a crer que estamos na mó de cima. É do pior que há. Já o contrário é de levar-nos ás nuvens.

Estamos efectivamente nervosos, desunidos, mal tratados, enganados e até humilhados. Que a equipa pense nisso.

Cumprimentos Benfiquistas

JNF disse...

A conclusão deste post fez-me lembrar a do que escreveste na antevisão daquele Benfica x Porto decisivo para o campeonato.

Uish.

Sandinando Sófacles disse...

É exactamente o que eu penso.

B Cool disse...

é aquele sentir irrealista no âmago que quando tudo nos diz que vamos para o abismo que sentimos com maior convicção que vamos ganhar ... sinceramente tenho pena de aos poucos estar a perder essa capacidade de me ilusionar