terça-feira, 21 de agosto de 2012

O mundo divide-se em milhões de metades

O mundo sempre se dividiu em duas partes: de um lado, os Beatles, do outro, os Rolling Stones. Se for nos restaurantes, é em Fumadores e Não Fumadores. Nos WC’s, Homens e Mulheres – a não ser que seja em Alfama, onde é recorrente o recurso à casa-de-banho comum; ou então nos shoppings, onde existe uma tereceira, para Deficientes. E às vezes uma quarta, que é a dos Fraldários. Quem for Fraldário, vai a essa. Nos Jogos Olímpicos, onde tudo se junta, raças, credos e nações, separam-se os sexos: de um lado os Homens, do outro as Mulheres, novamente. É uma divisão recorrente, esta de cariz sexual. Fomos feitos para nos misturarmos, para nos juntarmos, para nos fundirmos e, no entanto, a lei, a burocracia e a moralidade passam a vida a separar-nos. Curioso como o homem não se compreende a si mesmo.

Também no futebol o mundo se divide em duas partes: o Benfica e o Resto (e ainda esta pré-época o Benfica esmagou o Resto por 5 a 0). E até dentro do próprio Benfica o mundo se divide em duas partes: os Vieiristas e os Letrados. E escrevo-o com à-vontade por razões óbvias.

Enervo-me sempre um bocadinho mais ao notar as unhas e os dentes com que algumas pessoas defendem o presidente Vieira. Faz-me lembrar a reverência e a devoção que inspiravam figuras de outras décadas, de tempos em que, mais do que pelo respeito ou pela admiração, a coisa ia ao lugar pelo temor. Não sendo eu um enormíssimo democrata, que não sou – e não vou agora expor a minha ideologia, mas resumo: isto a que chamamos de Democracia é um embuste –, faz-me impressão quando o estado das coisas roça o despotismo.

E de cada vez que alguém diz «mas mudar porquê? E trocar este por quem?», aflige-me a pobreza de espírito de tal indagador. Porque o exercício é muito simples: basta reformular a pergunta – mas ficar lá com este porquê? Existe alguma boa razão? Já conheço o argumentário dos acólitos Vieiristas e posso desde já dizer: sim senhor, fez coisas boas; sim senhor, tem qualidades. Mais: nem sequer ponho em causa (e não me seria difícil fazê-lo) a sua seriedade enquanto presidente, a sua honestidade enquanto gestor e nem sequer a pureza do seu Benfiquismo. Mas pergunto de novo: depois de dez anos de governo – e muito apoio, todo o apoio – e com os resultados que se conhecem, temos de levar mais tempo com o homem porquê?

5 comentários:

BR disse...

Isso não é meter o dedo na ferida... é colocar lá a mão toda!
Grande post.

moleculasdeamor disse...

Segundo "algum" (elegervieira.blog), ele, o Luis! é o ÚNICO (assim mesmo com caps lock) benfiquista com a capacidade de continuar a conduzir a nau... e eu penso para mim: ele é o Único (com um olhar distante e sonhador) e depois de repente (acordo do pesadelo) e ... digo, F%$&-S$ tamos mesmo lixados... eh eh eh e é isto que me ocorre!

Ricardo disse...

Porra, finalmente. A introspecção demorou mas concluiu acertada e assertivamente.

Agora deixa-te de políticas e volta ao mirífico, que blogues de longas e exaustivas análises sobre a realidade benfiquista já existem muitos. Alguns até nem mauzitos de todo.

mago disse...

Gostei da denominacao encontrada para os Letrados, e' o chamado "au point".

De resto, e saudando a posicao assumida em relacao a estas duas metades, subscrevo o comentario do Ricardo. Espero que este texto seja um detour de politiquices benfas (ui se aqueloutros leem isto) e que doravante nos voltemos a concentrar no existencialismo futebolistico - ate' porque dissertar sobre o Benfiquismo, mesmo o sentimental, hoje por hoje anda dificil. Noto que cada vez comento menos em blogues...

Abraco, e ate' ja'.

pitons na boca disse...

"basta reformular a pergunta – mas ficar lá com este porquê? Existe alguma boa razão?"

Aceito que se coloque a questão assim, mas isso não implica que a questão inicial, antes da reformulação, não se coloque à mesma.
Que se chegue alguem à frente. Enquanto não aparecer ninguém, até ver este é o unico que se apresenta a votos.
Eu espero ansiosamente que apareça alguem com credibilidade (porra, comparado com este não é muito dificil).
Já agora, alguem que ganhe as eleições sem espinhas, com um projecto de valor e que volte a alterar os estatutos para aquilo que deveria ser (em relação a eleições e possiveis candidatos). E já agora, que alterassem os estatutos para que as eleições tenham de ser obrigatoriamente por volta do fim de Maio! Eleições em Outubro tem lá algum sentido?