terça-feira, 10 de abril de 2012

Foi um prazer, Jorge

"Eu sou do Sporting mas tu gostas de mim que eu sei". A mensagem, tão simples, iluminou-me o espírito, fez-me sorrir com aquela felicidade torta que desponta do meio da tragédia; acabei a cerveja e fui para casa jantar. A coisa mais preciosa que tenho na vida é uma sportinguista incrivelmente bonita que me sabe mimar nestes momentos de tristeza.

Hoje acordei sem angústias, senti apenas uma melancolia cristalizada. O choque de perder tudo quando menos se espera teria sido muito menos triste do que esta confirmação do desenlace dramático por que aguardávamos. Estava à espera de acontecer e aconteceu.

É o fim de uma era. Já aqui escrevi acerca do estranho sentimento que fui desenvolvendo por Jorge Jesus. Mas não creio que haja mais tolerância. São demasiados erros que se repetem, teimosias que não se debelam. Esperamos sempre que evolua, que aprenda. E nada. Acaba por acontecer o de sempre. Como um amigo ontem dizia, "a gente chama-lhe Jesus, mas ele é Jorge e não passa de Jorge".

Resta-nos a Taça da Liga e já não sei o que será mais humilhante, se ganhá-la, se perdê-la. Assumir uma vitória com um troféu de mísera consolação depois de ter perdido um campeonato ganho, ter sido eliminado por um Chelsea perfeitamente banal e não ter, uma vez mais, chegado ao Jamor é quase tão mau quanto festejar efusivamente uma vitória que consolida o quarto lugar no campeonato.

Há contornos maliciosos neste desfecho. Se, no ano passado, o Porto veio festejar à Luz, este ano conseguiu fazer pior: deixou a tarefa da nossa humilhação ao cuidado de um empreiteiro menor e nem se dignou a marcar presença. Fomos vencidos com desprezo.

5 comentários:

moleculasdeamor disse...

Não sei se ainda existem Benfiquistas... mas precisamos de um Presidente Benfiquista... vem-me à cabeça over an over again: Rui Costa.
JJ ah e tal... pois claro... mas e LFV 12 anos = 2 campeonatos... e 400 milhões de passivo! Salvador da pátria = história da carochinha - ainda me vão explicar aquela cena do Roberto... e os Rodriguez e Falcões e James e Alvaros Pereiras e o ...

É só...

POC disse...

@Diego Armés, é isso tudo. Revejo-me a 100%.

@moleculasdeamor, então mas gravaste o que gritei ontem na nossa bancada e vieste agora passar a limpo? :)

Germano Bettencourt disse...

Gosto da frase do teu amigo, é realmente Jorge, só Jorge.

Mas apesar de tudo, existe uma coisa que me deixa confuso, ou se calhar não, porque raio, nós para sermos campeões precisamos fazer uma época perfeita, ou quase, e mesmo assim ganhar à rasca (2009/2010), e outros, mesmo treinados pelo adjuno do adjunto, conseguem ganhar com esta facilidade.

Existe algo de muito errado nesta equaçção. E não creio que a culpa seja inteiramente de um Jorge, ou de um Luis...

Um abraço de um Benfiquista resignado...

Miguel A. disse...

Diego, é isso... bom post. Dói perder assim um campeonato, e passar por aquilo que o Jorge nos fez passar no ano passado. Três Taças de Portugal perdidas (nem sequer nos conseguiu levar ao Estádio Nacional), dois campeonatos perdidos de forma quase patética (este de forma ainda mais indignamente patética do que o do ano passado), atropelos ao nosso orgulho, disparates acumulados em jogos e em conferências de imprensa, uma meia-final da Liga Europa perdida contra o Braga, presenças nos quartos-de-final na mesma LE e na CL que ninguém recordará - muito justamente -, equipas sempre em frangalhos no último terço da época...

E é isso... Taça da Liga?... cada vez que me lembro do suplício do ano passado, contra o Paços... afinal a História sempre se repete. Mas, epá, eu desta vez não quero ser espectador dela.

Só espero que tenhas razão e que seja o fim da era JJ/LFV.

Abraço.

Nuno Bento disse...

Essa mensagem derreteria o coração a qualquer um.
As mulheres têm o condão de nos fazerem relativizar a importância de certas coisas que achamos mais importantes do que realmente são.