terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Melhor diálogo do fim-de-semana

-Tou, Diego?
-Yo, máméne, comé quié? Tá-se?
-Tá-se, tá-se… já vamos ver se tá-se…
-Então, pá? Que é que se passa?
-Tás no Algarve?
-Tou, acabei de passar aquela placa que diz “Algarve” mesmo, aquela grande. Granda pontaria, man… Ainda estou na estrada.
-Que fixe… olha, não tens contigo por acaso um Redpass com o nome de Felisberto Roberto Gilberto Adalberto, não?
-Eu?! Tás parvo?! Não, pá… então, eu devolvi-te isso… não te lembras?
-Não, não me lembro… e, além de não me lembrar, não o encontro, cabrão… e foi a ti que eu o emprestei.
-Mas eu devolvi-te… tenho a certezinha absoluta disso… eu lembro-me perfeitamente…
-Ai tens? Pensa lá bem se tens…
-Absoluta, man!... Estou a ver aqui a carteira… e tudo…
-Sim…? E não o tens? De certeza?
-Epá… erhm… mais ou menos…
-O que é que queres dizer com “mais ou menos”?
-Mas… tu querias ir ver a bola, era?
-Ó palhaço, eu estou à porta do Estádio! O que é que tu achas?
-… man, eu pago-te o bilhete…
-TENS OU NÃO TENS A PORRA DO REDPASS?
-… eu pago-te o bilhete, já disse… vai lá ver a bola descansado…
-…
- :(
-Tão caladinho… aposto que estás a fazer um saddy…
- :(
-Eu não vejo a tua cara, Diego…

8 comentários:

Éter disse...

O mínimo que poderias ter feito era dar meia volta na auto-estrada (nem precisavas de sair e voltar a entrar, vinhas mesmo em sentido contrário) e acelerar em direcção à Luz. Assim o teu amigo ainda via a 2ª parte.

Diego Armés disse...

Impossível. Fui pela estrada nacional.

PMD disse...

Apenas dizer que a sorte protege os Benfiquistas e consegui fazer um Redpass novo em 35m, tendo a senha 476 quando ia na 401. Sentei-me no meu lugar quando começou o jogo. E alguém deve-me 5 euros.

Grupo de Trabalho disse...

Caro Diego Armés:

Em primeiro lugar, gostaria de o felicitar pela histórica marca de um ano de blog e deixar votos para que venham mais dois, três, sete, por aí fora (rezando para que o tempo de antena do sr. Eduardo Barroso não dure tanto). A outra questão que aqui me traz e que se revelou um problema - não sei se é o espaço ideal para a colocar mas...- é eu ser um apreciador (hm... naa... isto parece muito formal e engravatado), é eu ser um gostador (culpa das redes sociais) das suas criações artísticas.
Passo a explicar: recentemente aderi ao Kopimism (já somos reconhecidos na Suécia e o mundo será, sem dúvida, o próximo passo) e ainda mais recentemente, o excelso benfiquista que lhe reconheço lançou um album. Problema: tivesse o dito produto saído "meia dúzia de horas mais cedo" e seria dos primeiros compradores mas agora... agora a minha vida mudou e é com pesar (pela primeira vez verdadeiro neste tipo de situações) que escrevo que "é contra a minha religião" comprar a sua recém-lançada obra. Como provavelmente saberá, a partilha de ficheiros é um dos mandamentos da minha Igreja e é aqui que, como diz o povo, "a porca torce o rabo". Não me sentiria bem, sabendo que desfruto da arte sem recompensar o criador (e que criador!), é assim que funciona a motivação, é assim que funciona a vida, finalmente, é assim que o artista vive ou sobrevive. Por outro lado, acho vergonhoso o que as editoras fizeram à música e aos músicos (o David Carreira continua no nº1 dos tops?). Decorrente de tudo isto, pergunto-me se não haverá, por exemplo, um modo de fazer uma doação para a sua causa com o exacto valor do custo do cd ou, num registo mais abusador, pagar o mesmo valor por um autógrafo. Desculpe, mas já nao sou capaz de dar dinheiro a esses tubarões (que actuam como verdadeiros Jorges Mendes!). Se nenhuma destas vias for exequível, garanto-lhe que também não procurarei forma de obter o ficheiro por meios ilegais, esperando antes que algum transeunte da Fnac que me seja próximo, mo ofereça.

Esta mensagem serve, se não para servir meus intentos, apenas e só para o congratular pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver.

Um parabéns verdadeiro!

Diego Armés disse...

Caríssimo,

não tem qualquer problema. Fazemos assim: amanhã, às 22h0, no Clube Ferroviário de Lisboa - é chegar, pagar o bilhete (são 5 euros e não são para os tubarões da indústria) e desfrutar do concerto. No final, bebemos uma cerveja e fica feito o negócio: sinta a sua consciência tranquila no momento de cumprir o principal mandamento da sua religião.

Um abraço,
Diego

Porta 7A disse...

Argh... vou esperar que se desloque mais para o Centro Norte - Beira Litoral, a época de exames e a distância a essa sobrelotada capital a isso obrigam. Mas fico grato pela sua compreensão e espero que assista ao vivo ao próximo Académica-Benfica a fim de beber essa tal cerveja.

Com os melhores cumprimentos me despeço
(Grupo de trabalho)

Diego Armés disse...

Bom, assim terei de enviar o NIB, pronto... (Por acaso, gostava de ir ver com a Académica.)

POC disse...

Tem e não tem a ver: há uns 2 anos lá decidi aderir ao débito directo para pagamento das quotas. Defini logo um tecto, para não me fazerem nenhuma surpresa.

Tive que preencher papelada, assinei e marquei a frequência com que queria pagar.
Num dos jogos seguintes, sou barrado nos torniquetes, falta de pagamento. A minha malta entrou e eu fui para o Departamento de Sócios, completamente a abarrotar. Parece que houve muita merda nesse dia.
Entrei na 2ª parte.
Ainda hoje aguardo por explicações e uma palavra de "desculpa" do Clube. Contactei telefonicamente várias vezes, enviei 8 ou 9 e-mails, perguntei como me iam compensar pelo erro, para alguém que já tem N cativos e anos de sócio.

Resta contar que quando chegou a minha vez, obriguei o tipo a ir buscar o papel que entreguei. E a confirmar que foi erro da casa.

Mas lixei-me. Preferia não ter o cartão de sócio comigo. Escusava de ficar com a impressão de sermos amadores e pior, não respeitarmos os sócios, ignorando telefonemas e emails.

http://simaoescuta.blogspot.com